Se observarmos bem, vemos que alguns mercados já se encontram bastante saturados. Uma infinidade de serviços e produtos atendem os mesmos nichos, quase sempre oferecendo soluções muito semelhantes umas das outras, quando não, cópias pouco adaptadas de suas concorrências.  Esse cenário competitivo e repetitivo é o que chamamos de o grande oceano vermelho.

Em outras palavras, o oceano vermelho é aquele techo do mar onde os peixes são vistos sem muitos esforços. Acontece que neste mesmo local, há muitos pescadores que lançam seus anzóis onde já se encontram outros dez, vinte, cem pescadores. E em geral, aqueles mais experientes, com mais recursos ou mais “espertos” acabam levando uma boa parte dos alimentos, restando aos demais, bem pouco para o seu próprio sustento. Por isso vermelho, porque ali é travada uma batalha para se conseguir um peixe onde todos disputam o mesmo cardume, onde geralmente, o pescador mais ingênuo, com menos recursos ou menos preparado, sai quase sempre em desvantagem.

Agora imaginemos um segundo cenário. Enquanto todos aqueles barcos estão parados em um mesmo local, apesar do imenso oceano de possibilidades, um pescador se arrisca a experimentar um novo modo de fazer, um lugar bem longe da costa onde as águas são azuis, arriscadas sim, mas sem uma dose de risco, continuaria colhendo o mesmo resultado ou nenhum. Essa atitude inovadora, aliada a aplicação de métodos para se identificar esses novos cenários, é o que chamamos de  estratégia do oceano azul.

Essa idéia dos mercados como  metáforas do Oceano Azul e Vermelho vêm do livro “A Estratégia do Oceano Azul” de W. Chan Kim e Renée Mauborgne . Os autores propõem nesta obra, algumas técnicas e ferramentas para se investigar novos territórios inexplorados. Entre todas as possibilidades de pesquisas que você poderá fazer (algumas delas você encontrará aqui), trago estas primeiras reflexões básicas para estimular o seu processo de diferenciação.

Comecemos por estudar as 6 fronteiras a serem examinadas:

  1. Pesquise os projetos alternativos
  2. Pesquise os grupos estratégicos dentro desses projetos
  3. Pesquise a cadeia de clientes
  4. Pesquise as ofertas de produtos e serviços complementares
  5. Pesquise as necessidades funcionais e emocionais dos possíveis clientes/compradores
  6. Considere o transcurso do tempo

Após esse período de pesquisas de benchmarking (saiba o que é benchmarking, clicando aqui). É a hora de iniciar os 4 passos básicos dessa estratégia:

1 º Passo: Despertar visual
Compare seu negócio  com os concorrentes e verifique o que deve ser alterado.

2 º Passo: Exploração visual
Procure explorar outras fronteiras, observe vantagens e que fatores você poderia eliminar, criar ou mudar no seu negócio, para se diferenciar e identificar sua proposta de oferta única, coerente com seus valores e a sua própria história.

3 º Passo: Feira de estratégia visual
Peça feedback de seus clientes e não-clientes.

4 º Passo: Comunicação visual
Abra mão de algumas ações/escolhas e apoie àquelas que te impulsionem a implementar suas novas estratégias.

* * *

Que tal experimentar novas fronteiras? No trabalho de Coaching, dependendo da necessidade da cliente, utilizo ferramentas variadas, além das próprias do coaching, para apoiar minhas clientes a desenvolverem seus projetos e a Estratégia do Oceano Azul é uma delas.

SÉRIE: Uma dose de café

__________________________________________________________________________________________________

 

A Estratégia Do Oceano Azul 
Autores:
Kim,W. Chan /Mauborgne,Renée
Da Cunha Serra,Afonso Celso 

Editora: Sextante.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *